Vídeos

VÍDEOS

Antigamente só tínhamos a TV para divulgar nossos vídeos. Com a internet e o alcance de maiores velocidades de navegação e o advindo do youtube. Hoje é essencial ter um bom vídeo para se promover ou vender algo.

Roteiro

A primeira coisa a ser feita para uma produção de vídeo é organizar as idéias, os objetivos que você propõe com este vídeo, seja ele promover a uma pessoa, empresa, produto ou serviço. Nele, deve constar o principais elementos de sua mensagem. É importante analisar as informações do mercado seja ela sua concorrência, seu publico alvo, pois saber que linguagem estamos usando e se ela atinge nosso publico, se não tiver nexo, será como falar tupiniquim para inglês, a mensagem nunca chegará ao seu objetivo.

Pré Produção

É nesta etapa que temos a noção de seu tamanho e custo, com base no roteiro, toda a execução das tarefas é separada conforme o tempo e os materiais a serem executados. As principais atividades a serem desenvolvidas são:

estudo das datas de gravação;
escolha de cenários/locações;
escolha de atores/atrizes;
escolha dos apresentadores/locutores;
escolha das referências que serão seguidas;
levantamento de custos, despesas e investimentos (materiais, figurino, equipamentos etc.) necessários para concretizar o projeto.


Com base nessas informações, é possível realizar todo o processo de pesquisa, entrevistas e, é claro, definir em média qual será o orçamento para que a produção siga adiante.
Lembrando que, muitas vezes, a gravação em locais públicos exige uma solicitação e autorização de órgãos, como a prefeitura da região e, em ambientes privados, a prévia autorização dos responsáveis pela área.

Formato de Vídeo

O formato do vídeo vai depender de onde você vai publicá-lo. Precisará atender o formato técnico do software que vai rodar e expor seu material; Por exemplo se você publicar nos canais de TV padrão, precisará renderizá-lo em alta qualidade nas dimensões de cada TV. Precisará saber qual é o formato que o veículo de comunicação usa, tanto do tamanho em pixels quanto no tipo de arquivo final, e alguns veículos exigem até mídia diferente para poder colocar ele no ar, Ou se você for dispará-lo em redes sociais e whatsapp o formato será bem menor porque rodará em Monitores de computador e menor ainda em celulares que tem telas pequenas.

Tipos de Formatos:

1. AVI (.avi)

O AVI (Audio Video Interleave) é um formato desenvolvido pela Microsoft e um dos primeiros compressores de vídeo criados. Para reproduzi-lo, você precisa de aplicações como o Windows Media Player.


2. WMV/WMA (.wmv ou .asf)

O WMV/WMA (Windows Media Video/Audio) é um formato desenvolvido pela Microsoft como um substituto do AVI. Esses arquivos são compatíveis com o YouTube e conseguem preservar a qualidade mesmo em tamanhos menores de compressão.


3. MOV (.mov)

O MOV é um concorrente direto do AVI, criado pela Apple. Seu reprodutor padrão é o QuickTime Player, mas aplicações como o Microsoft Windows Media Player também conseguem rodá-lo.


4. FLV (.flv)

A Adobe também tem seu próprio formato de vídeo: o FLV. Esse é o tipo de arquivo mais indicado para reprodução no YouTube, já que a plataforma conta justamente com a tecnologia Flash Player. O TV Ig é outro site de streaming que usa o sistema da Adobe.


5. RM (.rm)

O formato RM foi desenvolvido pela Real Networks, uma das empresas concorrentes da Microsoft. Para reproduzi-lo, o computador precisa ter o programa RealPlayer ou o Real Alternative, um pacote de CODECs compatível com o Windows.


6. RMVB (.rmvb)

O RMVB, por sua vez, é um dos formatos de vídeo que deram certo. Também da Real Networks, o RMVB foi por muito tempo um concorrente de peso dos formatos da Microsoft.

 

 7. MP4 (.mp4)

Esse é um dos formatos de vídeo mais conhecidos. Afinal, ele é típico dos dispositivos móveis e, por isso, está presente no dia a dia de muita gente.
Também compatível com o YouTube e outras plataformas de streaming, o que mais roda no WhatsApp. A vantagem do MP4 é que ele armazena em um mesmo arquivo as faixas de áudio, de vídeo, imagens estáticas e legendas.


8. MKV (.mkv ou .mks)

O MKV é visto como um dos formatos de vídeo mais promissores do mercado por causa de uma característica diferenciada: a democratização de recursos.
Criado pela Matroska Association, ele consegue codificar elementos de praticamente todo tipo, como faixas de áudio, vídeo, legendas, arquivos JPEG, filtros e muito mais em um único contêiner.
A desvantagem do MKV é que ele ainda não é compatível com os sistemas operacionais que usamos (Windows, macOS e Linux). Por isso, é preciso instalar CODECs para a reprodução dos conteúdos, o que consome consideravelmente o processamento das placas de vídeo.


9. 3GP (.3gpp)

Por último, o formato 3GP é próprio para dispositivos móveis. Desenvolvido pela 3rd Generation Partnership Project, seu grande diferencial é que ele permite a visualização e o download com menos consumo de banda larga do que o MP4.
Seu ponto negativo é que a perda de dados é significativa. Então, o resultado exibido após download pode ter a qualidade inferior ao original em termos de imagem e som.

Equipamentos

A escolha do equipamento está relacionada diretamente como tipo de material que você quer finalizar, e para onde ele vai rodar, ser exibido. Por exemplo se você for expor em uma tela de cinema para milhares de pessoas assistir, o ideal é ter câmeras com lentes mais profissionais que captaram todos os detalhes como definição, suas cores e contrastes.

Equipamentos necessários para sua produção de vídeo:

• câmeras para gravação de vídeo;
• tripés;
• steadicams (suporte específico para estabilizar a câmera);
• microfones externos;
• microfones de lapela;
• equipamentos de iluminação.

Essas, entre outras ferramentas indispensáveis para a produção de um conteúdo audiovisual de qualidade.

Produção

Se você já tem o roteiro definido, o orçamento do projeto e sabe como colocá-lo em prática, então é a hora de pôr a mão na massa e iniciar a produção de vídeo. Basicamente, esse é o momento que abrange todo o processo de gravação e tudo que ele envolve, como a escolha dos equipamentos, equipe técnica, atores, locações etc.

É imprescindível que haja uma pessoa responsável para conduzir todo o processo e coordenar a equipe, garantindo que todo o planejamento e o roteiro sejam seguidos dentro dos padrões de qualidade. Esse responsável é conhecido como o diretor da produção.

Edição ou pós-produção

Após a etapa de gravação de todas as cenas e áudios que serão usados no vídeo, é a hora de realizar uma das tarefas que mais demanda responsabilidade em todo o projeto: a edição.

É nessa etapa que são adicionados recursos como efeitos visuais, trilhas sonoras, locuções, artes gráficas e todo o conceito do diretor. Por isso, é muito importante que o editor de vídeo tenha experiência e discernimento para capturar a ideia do roteiro e transmiti-la no resultado final da edição.

Tempo e o custo de produção

Sabemos que imprevistos podem ocorrer durante as etapas da produção de vídeo, comprometendo toda a cadeia logística e gerando atrasos ou prejuízos. Mas é possível evitar uma série de contratempos e obter ótimos resultados sem grandes complicações, se seguir o planejamento.

Uma produção de vídeo institucional, por exemplo, pode demandar investimentos que variam entre R$ 15 mil a R$ 30 mil em média, podendo durar de 15 dias até meses, dependendo do nível de complexidade e das necessidades do projeto. Tudo dependerá de sua ideia e da dificuldade que dela poderá haver. Se você pensar em produzir algo exorbitante, com inumeros figurantes, em, locais de difícil acesso isso demandará um alto custo em seu investimento, como nos clipes que Michael Jackson fazia antigamente. Quanto mais criativa e inusitada for sua ideia, maior será seu custo. Então pense bem antes de começar a criar seu vídeo.

Drones e filmagens Aéreas

Boas filmagens para fins publicitários, como apoio a melhoria da marca (branding), devem ter além de  um bom plano de vôo, um roteiro que desperte emoções bem definido, uma filmagem aérea deve conduzir o espectador a uma conexão emocional, que por objetivo é contar uma boa história.

Os recursos que os drones nos dispõe facilitam a produção que antes era necessário vários equipamentos, como os movimentos de câmera estabilizados travellings perfeitos sem trilhos e grandes câmeras ficou mais fácil contar histórias que se tornaram mais ricas, em detalhes e qualidade visual, e os drones entram nesse cenário como ferramentas de apoio mais acessível e prática para a realização de filmes que antes custaria muito em equipamento ou operadores de câmeras.

© todos os direitos reservados a Carlos Marra Design

whats 51 991342544   |   carlos_marra@msn.com

  • Facebook
  • Instagram
  • twitter